E pra você que achou que não ia mais rolar DIY Coletivo este ano, aqui vai nossa edição especial: Mimo de Natal!

Pra quem não tá por dentro, Mimo de Natal é uma edição criada especialmente pro nosso Amigo Oculto Virtual. Sendo assim, nós, integrantes da Equipe SOS Decor, nos reunimos virtualmente para celebrar mais um ano criativo. E existe melhor maneira de presentear uma pessoa querida do que fazer com as próprias mãos um mimo especial pra ela?

Como estamos neste barco há mais de um ano, já nos conhecemos um pouco melhor, então em vez de nos inspirarmos simplesmente no perfil de cada uma, resolvemos dar uma dica do que gostaríamos de ganhar, ou melhor, que parte da casa seria presenteada com o Mimo de Natal :)

Para aumentar o suspense, a foto divulgação foi misteriosa: um embrulho de presente!

O que tem dentro da caixa? Vem que eu te mostro ;)

diymimo-divulga-02

diy mimo de natal 2014-01

diy mimo de natal 2014-02

 Minha amiga vai ganhar um presente que se eu fosse comprar pronto, custaria um dinheiro sério, maaaaas graças ao DIY power, o valor final do presente ficou tão indecente que fico até com vergonha de contar quanto custou – além do que, convenhamos, a etiqueta manda não revelar o valor do presente, né? ;) Quer saber o que eu usei?

diy mimo de natal 2014-04

Mas vamos ao que interessa. Com vocês, o passo-a-passo!

diy mimo de natal 2014-11 diy mimo de natal 2014-12 diy mimo de natal 2014-13 diy mimo de natal 2014-14 diy mimo de natal 2014-15

E agora o produto final prontinho posando todo faceiro e em funcionamento na minha bancada de trabalho:

diy mimo de natal 2014-08

diy mimo de natal 2014-06

diy mimo de natal 2014-05

   - Diz aí se não ficou super cool?? (modéstia à parte, claro, rs)

diy mimo de natal 2014-03

Mimo de Natal prontinho e embrulhado, é hora de apresentar minha Amiga Oculta Virtual! E meu mimo de Natal vai para a….

diy mimo de natal 2014-07

Isso aí, repeteco – tirei a mesma amiga do ano passado (e não foi marmelada, juro! rs) A Ju pediu um presente pro home office que está em fase de reforma, aí eu decidi criar um letreiro iluminado… e nada mais representativo do que um DIY do DIY né não? :) printscreen-01 Ju, espero que você tenha gostado do seu mimo. Fiz inspirada nas cores vibrantes do adesivo vinílico que reveste o armário alto do seu home office (que imita uma biblioteca) e também na sua disposição DIY 24h. Ah, e pra você que não viu o Mimo de Natal do ano passado, vem por aqui. Bom, mas como vocês sabem, a inspiração não termina aqui :) As outras meninas da equipe  bolaram presentes super bacanas. Se eu fosse você ia correndo conferir. Aliás, quem será  que me tirou? Morrendo de curiosidadeeeee!!! :)

Este post faz parte do projeto DIY Coletivo da Equipe SOS Decor. Pra ficar por dentro de todas as blogagens, ou participar das próximas edições, basta ficar ligado na fanpage do Facebook.

 

Dezembro entrando, é hora de começar a agitar a decor natalina – ou será que você já começou??

Aqui em casa a movimentação ainda tá fraquinha,  até agora só montamos a árvore (hoje!).

O calendário do advento sairá em breve, e para a porta queria fazer uma guirlanda diferente este ano, mas a cara de tristeza do Vivi foi tão tocante quando eu contei isso pra ele que estou quase repetindo o Rudolph este ano.

Até semana que vem , começarei também a pensar em como será a decoração do mesão de Natal  - gente, é só comigo ou tempo aí também tá voando? aff…

Mas deixa estar, porque hoje é dia de DIY Coletivo e nossa missão do mês é dar aquele empurrãozinho pra você deixar sua casa no clima pra receber o Papai Noel :)

DIY Coletivo - xmas 2014-02

O projeto deste mês é bem singelo, tão simples que não fui nem eu que fiz, passei o bastão pro meu assistente, meu primogênito que só não ficou mais feliz com a função porque 1. ele tava dodói; e 2. porque não foi filmado (ele é um artista nato, adora um vídeo, rs).

Na verdade, confesso, o projeto ia ser outro, mas como queria alegrar o dia do meu pequeno, que estava entediado em casa de repouso, decidi escolher um lance que ele pudesse fazer sozinho – e ele adorou participar!

Então, vamos ao PAP, com participação especial do meu Vivi!

Snow Globe – só que no pote de vidro

DIY Coletivo - xmas 2014-01

(notem que na foto o enfeite de Natal já está colado à tampa do pote de vidro)

DIY Coletivo - xmas 2014-03

1. Usando a cola quente, cole o enfeite dentro da tampa do pote de vidro (na hora de comprar o enfeite, leve a tampa pra ter certeza que caberá). Reserve.

2. No pote com água, coloque algumas gotas de glicerina (não precisa misturar) – não tem medida certa, mas tenha em mente que quanto mais glicerina tiver na água, mais lentamente cairá a purpurina.

DIY Coletivo - xmas 2014-04

3. Acrescente a purpurina à água com glicerina. Acho que colocamos o equivalente a umas duas colheres de sopa cheias, mas assim como no caso da glicerina, a quantidade vai do gosto do freguês – se quiser uma nevasca, se joga na purpurina, se quiser só uma nevezinha de leve, um pouquinho basta.

DIY Coletivo - xmas 2014-05

4. Para garantir que o pote ficará selado sem deixar escapar água (já que a ideia é deixá-lo de cabeça para baixo), aplique cola quente à lateral da tampa, por dentro, claro :)

DIY Coletivo - xmas 2014-06

5. Feche o vidro imediatamente, antes que a cola seque. Enrosque a tampa com firmeza e antes de virar o pote de cabeça pra baixo, tente abrir o pote (a ideia é não conseguir, rs), pra ter certeza que está bem vedado.

6. Feito isso, tá pronto! Pode chacoalhar à vontade que sua “neve em conserva” vai cair, como no Natal dos filmes de Hollywood :)

DIY Coletivo - xmas 2014-07

O Vivi que nasceu na neve de Indiana, mas não lembra como era, adorou ter a representação do Natal branquinha dentro do pote.

Fiz questão de deixá-lo fazer tudinho e resisti à tentação de dar um toque final, porque eu queria que fosse uma produção totalmente by Vivi :)

Let it snow!

Considerações finais:

1. o pote de vidro pode ser reciclado mesmo (o de molho de tomate funciona que é uma beleza, tamanho perfeito!)

2. se você não encontrar um enfeite natalino simpático no xing ling, você pode comprar aquelas escovinhas de lavar mamadeira pra fazer os pinheirinhos? Ou melhor ainda, comprar as arvorezinhas feitas com essa escovinha – elas são bem baratinhas. Você encontra no eBay e no Etsy.

3.  usei cola quente, mas a menina da loja de crafts me sugeriu usar silicone (aquele que se usa pra selar o box do banheiro)

4. a glicerina líquida não é fundamental, mas ela faz com que os floquinhos de purpurina caiam mais devagar. Ah, você encontra em qualquer farmácia.

Como vocês podem ver, o projeto é bem fácil mesmo, sem falar que custa quase nada e faz a alegria da criançada tanto na hora de fazer, quanto depois de pronto.

Agora, como vocês já estão carecas de saber, a inspiração não pára por aqui. As outras blogueiras do SOS Decor  fizeram projetos super bacanas. Ideias não faltam pra vocês enfeitarem a casa pro Natal  - só não entra no clima quem não quer :)

 

 

Este post faz parte do projeto DIY Coletivo da Equipe SOS Decor. Pra ficar por dentro de todas as blogagens, ou participar das próximas edições, basta ficar ligado na fanpage do Facebook.

 

 

Faz tempo que não apareço por aqui sequer pra tirar a poeira, né não? Mas ó, eu demoro mais chego e ainda trago comigo muita inspiração.

Segura porque hoje é dia de home tour em Casa de Blogueira! :)

casa de amados tour 7-1Tem gente que é tão fofa que dá vontade de colocar no bolso, né não? A Ju Amado é dessas, e não satisfeita em carregar a fofura no coração, espalha amor por onde passa, seja nos seus vídeos inspirados em seu canal no YouTube, nos posts em seu blog, nos compartilhamentos na sua fanpage e, claro em nosso encontro criativo mensal, nosso querido DIY Coletivo.

Quando convidei a Ju para nos apresentar oficialmente seu doce lar, já fazia uma boa ideia do que iria ver, já que sua casa é o palco dos espetáculos  do Casa de Amados. Mas eu precisava ver todas as peças se juntarem, queria mostrar pra vocês o quebra-cabeça montadinho de uma tacada só.

Ela, queridíssima, mandou registros de todos os cantos da casa: sala, quarto, varandas, banheiro, cozinha e lavanderia, nenhum ambiente passou impune, todos foram clicados e serão aqui eternizados (ops, até rimou, rs).

Então, senhoras e senhores, meninos e meninas, diretamente da minha Cidade Maravilhosa, trago pra vocês:

A Casa da Ju!

A Ju, não sei se vocês lembram, foi minha amiga-oculta no último Natal. Ela é museóloga, amante das mais variadas formas de arte e dona de uma inquietação permanente quando o assunto é decoração – e cá entre nós, os 60m2 em que ela vive sabem muito bem disso! :)

Desde que se mudou pra lá, começou imediata e destemidamente o processo de intervenção. O mobiliário embutido foi totalmente repaginado e ganhou diferentes apelos em cada ambiente.

A área social, inspirada em Mondrian, obedece à paleta de cores primárias e às escalas de luz – uma décor totalmente inspirada nas artes que agrega elementos modernos e antigos, todos dentro do mesmo abraço, dando forma a um ambiente rico em detalhes e que expressa com exatidão a essência da blogueira.

E quando você acha decifrou o espaço, surge, cravado no meio da sala, uma mini-galeria que faz de um simples hall de acesso à ala íntima, um canto iluminado pela textura e cores aplicadas às paredes e, claro, pelas artes ali expostas. Um afago aos olhos…

casa de amados tour 4-1

casa de amados tour 9-1

casa de amados tour 5 opção 2-1

casa de amados tour 6-1

casa de amados tour 1-1

“As cadeiras do jantar, comprei de um noivo de uma amiga, porque ele tinha trocado por umas novas, por 20 reais cada. A poltrona, o banco de sapo, e as mesinhas laterais foram herança da família e de amigos. A mesinha redonda de pés palitos foi feita por mim, usando carretel de fio e tecido. Os quadros do cantinho de leitura remetem à literatura e ao cinema.”

casa de amados tour 7-1

casa de amados tour 8-1

.

Na varanda da sala, a mesa super estilosa feita de carretel de fio ganha cadeiras coloridas que quebram o ar rústico e reforçam o estilo que toma conta da casa.

.

casa de amados tour 2-1

“Na varanda do quarto, a mesinha azul foi “herança” e o banco, na verdade era uma mesa que ia pro lixo de uma costureira do bairro. Sorte que ela conhecia o meu blog e ofereceu para minha mãe! As prateleiras que sustentam as garrafinhas também são “resto” do rack. As garrafas, são garrafas de qualquer coisa, que eu pintei por dentro. O nicho do meio, veio de um bazar do blog Decorviva. É nessa varanda que coloco a rede quando o tempo está propício.”
casa de amados tour 3-1
.
O quarto da Ju é outro paraíso de inspirações, o que não falta ali é projeto de customização. A cabeceira rendada foi seu último toque, que arrematou o ar romântico do ambiente. Neste quarto, basicamente tudo o que você vê e pensa “será que foi ela que fez”, a resposta é “sim, foi!” :)
.
Não se sabe onde a inquietação decorativa começa e onde a Ju termina, rs.
.

“No quarto, eu queria uma pegada mais artesanal e romântica. Forrei quase tudo com contact – a sapateira e a escrivaninha receberam motivo floral, e o armário aéreo, uma estampa que imita livros antigos. No guarda-roupa, troquei os puxadores cromados por outros de flores, em estilo colonial. O quadro grande, ao lado do cabideiro EAMES foi pintado por mim, e faz referência à viagem que fiz a Cusco, Peru. Ele não está ali por acaso – esconde fios de tv, já que eu não gosto de televisão no quarto.”

 

IMG_1870
.
IMG_1872
.
IMG_1884

.

IMG_1881

.

IMG_1878

.

E vejam vocês, nem a cozinha escapa das intervenções da Ju. O ponto alto fica por conta da parede de azulejos estampados, que ela produziu do zero, recortando estampas diferentes de papel adesivo no tamanho do azulejo dela.

“Essa parede é o xodó da casa, todo mundo comenta!”

Mas claro que não pára por aí, né? Para impedir que o branco tome conta, ela pincela cores e texturas por toda a cozinha!
.

IMG_1562

IMG_1566

 .

“Na lavanderia, como a máquina de lavar fica bem embaixo do varal, seria importante ter uma capa. Mas como eu detesto capa de máquina, apelei para uma toalha de mesa coloridona, que me lembra a Frida Khalo.”

.

IMG_1570

.

E o banheiro, você acha que passou impune? Óbvio que não.

“No banheiro, forrei o armário branco com contact e troquei os puxadores cromados por modelos coloniais. E coloquei quadrinhos, e também um porta-grampos. A maioria dos quadrinhos são postais publicitários de exposições de arte, emoldurados em porta-retratos de loja de 1,99.”

.

casa de amados tour 12-1

casa de amados tour 11-1

casa de amados tour 10-1

casa de amados tour 13-1

.

E aí, depois de fazer esse tour pela casa da Ju você ainda vai ter coragem de dizer que não decora a sua casa, porque a grana tá curta, ou porque mora de aluguel? Hmmm, acho que não, né?

E ó, se quiser mais inspiração DIY, não deixe de conferir o Casa de Amados, que traz sempre inspirações fofas e realistas, que certamente cabem no seu bolso. Outra dica é ficar ligado no canal do Youtube, os vídeos da Ju estão cada vez mais bacanas – uma artista esta menina! Dá só uma olhada em um dos meus favoritos ;)

Espero que vocês tenham curtido o tour da casa da Ju. E para aqueles que ainda não viram, vale a pena conferir os outros posts da coluna Casa de Blogueira – prometo que vocês não se arrependerão ;)

A casa da Carla

A casa da Karen

Ju, muito obrigada por me permitir mostrar sua casa aqui no Home. Tenho absoluta certeza que este tour servirá de inspiração para muitos!

.

 

Demorou um tantinho, mas chegou! Chegou o dia da nossa blogagem coletiva mensal e o tema da vez é Decor Xing Ling - porque, cês sabem, né? Nós adoramos inventar moda gastando bem pouquinho :)

decor xingling-12

Então, anota aí, o desafio do mês é criar uma decor bacanuda, usando como matéria prima principal um ou mais itens dessas lojas de 1.99.

Eu, que estava sem inspiração, fui perambular pelos Xing Lings da região – aqueles corredores são sempre inspiradores, rs – e eis que me deparo com um cesto cheio de relógios de parede, daqueles beeeem vagabundex, que pra melhorar piorar estavam sem bateria, pela bagatela de quanto? Um e noventa e nove! Peguei o meu e segui perambulando, atrás de algo que pudesse servir de base, já que daquele relógio eu só pretendia aproveitar a “máquina”.

Não encontrei o que eu tinha em mente, e quando já estava desistindo, passando pelo último corredor, encontrei uma pilha de tabuinhas de bolo (daquelas de papel duro, sabe?). Diâmetro maior que um palmo, perfeita! Saí de lá 4 dinheiros mais pobre e já visualizando o que iria fazer, até que… quase saindo do Mall, dou de cara como uma promoção numa loja de produtos indianos: qualquer produto pela metade do preço! Fui direto na prateleira de papéis feitos à mão e arrematei o meu por 2 míseros dinheirinhos. Não tá ruim não, né?

E foi assim que nasceu um relógio de parede pro meu home office :)
decor xingling-01

Material:

- uma tábua de bolo redonda com mais ou menos 30cm de diâmetro (daquelas de papel bem grosso);

- cola (eu usei modge podge e cola spray, mas cola branca normal funciona também)

- máquina de um relógio de parede (motorzinho + ponteiros). Você pode desmontar um relógio barato ou comprar um kit DIY

- papel da sua escolha (ou tecido!)

- furadeira

- tesoura, régua, lápis… essas coisas de sempre

 

Vamos ao PAP!

decor xingling-02

1. Usando uma régua, encontre mais ou menos o centro da circunferência e com uma furadeira perfure a tabuinha.

decor xingling-03

2. Encaixe o motorzinho do relógio na parte de trás. Às vezes é necessário abrir um pouco mais o furo, pra que o eixo encaixe, mas cuidado pra não deixar o motor bambo, é importante que fique bem justinho. Se não ficar, use cola para fixar.

decor xingling-04

 3. Retire o motor e recorte no papel (ou tecido) uma circunferência um pouco maior que a da tábua de bolo.

decor xingling-05

4. Para um trabalho mais limpinho, aplique cola spray no verso do papel e na parte da frente do que será seu relógio. Espere de 1 a dois minutos antes de colar um no outro. Lembre-se que você pode usar cola branca, sem problema nenhum. Preferi a cola spray pra tentar minimizar a sujeira :)

decor xingling-06

5. faça pequenos cortes em todo o perímetro do papel (ou tecido), aplique-o à tábua e, cole as bordas na parte de trás (eu pincelei cola branca)

decor xingling-07

6. Feito isso, com o auxílio de uma tesoura, fure o papel que você acabou de colar sobre a tábua bem no centro, onde entrará o eixo do motor do relógio. Aconselho a passar uma camada de modge podge (ou mesmo de cola branca) para proteger a superfície e dar um acabamento melhor, mas não é fundamental.

decor xingling-08

7. Encaixe o motor

decor xingling-09

8. Encaixe os ponteiros na sequência: horas, minutos, segundos. Notem que meus ponteiros estão cobreados – eu havia pintado, usando tinta spray cobre (sim, a mesma que usei no projeto do mês passado, rs), mas achei que ficou mortinho, então….

decor xingling-10

9. Lancei mão da minha velha amiga washi tape – que eu não usava fazia tempo! – e transformei meus ponteiros em laranja fluorescente! Pra dar uma bossa a mais, com uma Sharpie (caneta permanente) laranjona, pintei o ponteiro de segundos. Outra vida, né, não? :)

decor xingling-11

 

Depois foi só arrumar um espacinho pro meu relógio novo na parede do meu home office e pronto, uma parede que era preta e branca, ganhou um splash de cor :)

Arrisco dizer que este foi o projeto mais fácil e mais rápido que eu já fiz – mais fácil até que o macramê de principiante, ops, de minuto!

Então se quiser fazer um relógio de parede bacanudo e baratex pra sua cozinha, pro seu home office ou até mesmo pro quarto das crianças, se joga nesse PAP porque é risco zero! ;)

Ah, e não acabou não, hein! As outras meninas do SOS Decor também colocaram a mão na massa e trouxeram  ideias fantásticas pra você abusar do xing ling ;)

 

Este post faz parte do projeto DIY Coletivo da Equipe SOS Decor. Pra ficar por dentro de todas as blogagens, ou participar das próximas edições, basta ficar ligado na fanpage do Facebook.

 

 

concreto17O Concreto aparente surgiu com força total em terras brasileiras na década de 60, na época do movimento brutalista, quando primava-se pela funcionalidade e objetividade da construção em detrimento dos elementos decorativos.

No Brasil, arquitetos como Ruy Ohtake, Mendes da Rocha e Vilanova Artigas são sem dúvida nenhuma alguns dos maiores representantes/ícones deste movimento.

Na arquitetura brutalista, o concreto armado era o rei e estava sempre aparente. As estruturas, antes encondidas, disfarçadas, ganhavam destaque. Fachadas, paredes internas, escadas, lajes, vigas, colunas, brises, pilotis…  uma infinidade de elementos arquitetônicos se beneficiaram do concreto armado, que passou a estrelar in natura, completamente aparente, nas edificações da época.

O tempo passou e outras correntes surgiram, voltando a esconder o esqueleto das construções. Já há algum tempo, entretanto, vê-se um certo retorno do concreto aparente ao gosto comum. Eu mesma adoro a ideia dos ambientes serem o mais verdadeiros possíveis. Se uma construção foi pensada, planejada, não há porque disfarçar seu esqueleto. Muito pelo contrário, vigas robustas de concreto aparente, assim como colunas estruturais à mostra, me dão borboletas no estômago, mexem com minha imaginação, aguça meus sentidos.

E pra provar meu ponto, trago hoje pra vocês inspirações lindas e cheias de personalidade que exaltam os elementos estruturais, deixando o concreto aparente.

concreto2

concreto2b

concreto4

concreto7

concreto8

concreto9

concreto16

concreto11

concreto17

concreto19

concreto20

concreto21

Preferências à parte, uma coisa é certa, estruturas aparentes contam histórias não só de uma época, mas também da edificação em si. Eu morro de amores!

Mas como diz o velho ditado, quem não tem cão caça como gato, então na impossibilidade de se ter concreto aparente de verdade (dada a dificuldade que é se conseguir, hoje em dia, um serviço bem feito a um preço camarada), por que não apelar para o bom e velho “fake”? Sim, os revestimentos cimentícios são  uma boa opção para atingir um look brutalista, só que muito mais baratos que os verdadeiros.

Seria assim, comparando grosseiramente, como utilizar adesivo vinílico em vez de papel de parede de verdade – não é o ideal, mas dá pro gasto (e é bem mais em conta) rs. E pra provar que os fakes também dão samba, olha aí alguns exemplos:

cimento1

cimento2

cimento3

cimento4

cimento5

cimento6

cimento7

concreto5

concreto6

Claro, resultado não é o mesmo, já que se perde muito da característica bruta original. Entretanto, muito embora o revestimento de cimento queimado não traga com ele a “uniqueness” da imperfeição que só o concreto aparente proporciona, o aspecto cru confere, inegavelmente, uma pegada moderna ao ambiente, e melhor, por um precinho beeeeem mais camarada. E quem não gosta de um look bacana a um preço acessível? :)

Tagged with:
 

Continuando o papo sobre tapetes, para reforçar meu gosto absolutamente eclético, trago para vocês hoje mais um estilo que eu curto bastante. Diferentemente do cowhide rug do post anterior, que eu sempre adorei, dos tapetes persas eu aprendi a gostar. Foi um processo lento, longo, que foi da total rejeição ao amor profundo. Coisa de gente que muda de ideia.

persa

Eu acho até que um dos motivos que me impulsionaram a trabalhar com interiores foi nunca ter conseguido ter um estilo que pudesse chamar de meu. Nem quando se trata de roupa eu consigo apontar um estilo e dizer: “esta sou eu” – vou do preto ao estampado colorido florido num piscar de olhos, da caveira heavy metal ao saiote frufruzento de um dia pro outro. Houve um tempo que até os cabelos mudavam completamente de um mês pro outro.  Imagina quando o assunto é decoração! Minhas preferências são diversas e variam com o clima, com a hora do dia, o dia da semana, a semana do mês e o mês do ano. Meu estilo é mutante e eu enjôo muito fácil de quase tudo. Se eu pudesse mudaria completamente de decoração a cada 4 ou 6 meses. Se eu pudesse mesmo, mudaria tudo a cada estação.

Mas claro que apesar de toda essa instabilidade, minha essência é muito forte e há alguns traços e gostos que estão sempre à flor da pele e é isso que define meu rumo. Sempre. Gosto de referências marcantes, de arte (mesmo aquelas artes entre áspas, feitas por mim), gosto de fotografia, de cores onde não se espera, de texturas. E pra completar, não sou NADA minimalista. Nem eu, nem os tapetes persas :)

E pra quem acha que o tapete persa é coisa da casa da vovó, aqui vão provas visuais de que eles são tão modernos quanto qualquer chevron – só que com muito mais classe ;)

persian1

persian10

persian8

persian7

WorldMags

persian4

persian3

persian2

É, tô in love pra valer. Só de eu ter selecionado estas imagens, já fiquei com borboletas no estômago, querendo um persa pra chamar de meu. E é tão baratinho, né? Só que não, rs

Mas quer saber, é o tipo de compra que vale cada centavo, primeiro por ser uma peça super “unique” e segundo por ser uma decoração atemporal, acima dos modismos, do bem e do mal :)

 

Tagged with:
 

Já faz tempo que tenho vontade de trazer uma rede pra dentro de casa. Uma daquelas bem coloridas (apesar de também morrer de amores pelas cruas), bem brasileiras, feita em tear, com franja, sabe? Infelizmente, aqui, apesar de ter espaço e de eu saber exatamente onde entraria a minha, não posso instalar nadica de nada nas paredes, nem no teto (e infelizmente não rola de pendurar uma rede usando velcro adesivo, rsrsr).

rede3

Acho um charme utilizar a rede na decoração, sem falar que eu AMO tirar um soninho no seu suave vai e vem. Sempre, após um farto almoço de fim de semana, me vem o pensamento: “tudo o que eu queria agora era uma rede…”

A rede, originalmente feita de cipó e lianas, foi inventada pelos nossos índios da América Latina, que a utilizavam como cama, mas com a colonização, seu uso foi ampliado, serviam, por exemplo, para que os escravos carregassem os colonos em passeios pela cidade e até mesmo em viagens. Com o passar do tempo, ela foi ganhando texturas mais macias e já posava na decoração de varandas brasileiras do Brasil-colônia.

Hoje, apesar das redes serem feitas dos mais diversos materiais, as que moram no meu coração são as tradicionais tecidas em tear manual, como as usadas pelos portugêses no início de nossa colonização. Aliás, ainda há lugares no norte e nordeste onde, nas casas, ainda se dorme em redes em vez de em camas, sabia?

Pra mim, o sonho da rede dentro de casa ficará para a próxima morada, mas enquanto minha vez não chega, vim compartilhar com vocês algumas inspirações para inserir, com louvor, nossa boa e velha rede num cantinho de casa.

Algo me diz que no dia em que eu colocar um rede em casa, terei que colocar duas, ou três, porque será o canto mais disputado, aposto!

rede11

rede10

rede7

rede4

rede1

rede6

rede5

rede12

E aí, vai dizer que não dá vontade de atropelar o contrato de aluguel e mandar ver na rede? Meu marido que não me leia, mas eu tô cada vez mais tentada!! Acho que eu ter um blog de decor foi a pior coisa que aconteceu na vida do meu digníssimo nos últimos dois anos ;)

E você, ainda acha que lugar de rede é na varanda?

 

 

 

Tagged with:
 

Quem me conhece um tantiquinho, sabe que eu não resisto às cores. Já fui daquelas pessoas que tem uma cor predileta, só que a minha mudava de tempo em tempo. Minha primeira cor predileta foi o azul. Eu era pequenina, isso foi dos 3 aos 7 (durou bastante!) e lembro que ficava brava quando não encontrava no jardim da casa da minha tia-avó flores azuis – por que as rosas eram cor-de-rosa? Eu não me conformava!

sofa amarelo8

Os anos foram passando e minhas preferências mudando. Já tive preferência pelo rosinha, pelo rosa choque, pelo preto, pelo verde claro, pelo verde escuro, pelo turquesa, pelo esmeralda, pelo vermelho, pelo roxo, pelo cinza, pelo laranja, pelo amarelão… Não necessariamente nesta ordem.

Já faz um tempo,  entretanto, que me assumi, e minha cor predileta é… qualquer uma! Depende de quando, onde e para quê. Gosto de todas as cores, sem exceção. E gosto também de misturá-las livremente. Sabe aquelas regrinhas de combinação de cores (análoga, monocromática, complementar, triádica, blá, blá, blá..), então, não dou a mínima pra elas :) Gosto mesmo é de seguir a intuição.

Preferências à parte, por mais eu que adore a dupla preto e branco e o estilo escandinavo, não abro mão de cores na decoração. Não há maneira de não incorporar cores a minha casa. Impossível. E foi assim que ao chegarmos aqui em Melbourne, a primeira compra que fiz foi meu sofá amarelo – que aliás, infelizmente não seguirá conosco para a próxima casa. Tá veínho, coitado. Aguentou todas as lavagens que conseguiu, e até que vem aturando bem essa vida sob a influência de dois molequinhos impossíveis.  Já recebeu de tudo, este sofá – é um expert em sabores.

Há quem ache que fica over, outros pensam ser muito comprometimento. Há também os que julgam feio e até mesmo os que gostam mas têm medo.

Hoje, vou mostrar pra vocês uma seleção que fiz de sofás amarelos, porque uma coisa é certa, eles são um “statement” , uma peça master, e cá entre nós, ter um ponto focal no ambiente, é para muitos uma mão na roda, um grande facilitador na hora de decorar.

sofa amarelo10

sofa amarelo11

sofa amarelo12

sofa amarelo13

DSC_9888

sofa amarelo 3

sofa amarelo 5

sofa amarelo1

sofa amarelo2

sofa amarelo4

sofa amarelo7

sofa amarelo9

sofa amarelo6

Agora me diz: é ou não é uma peça de respeito? A cor, apesar de marcante, se submete perfeitamente aos mais variados estilos e traz um brilho peculiar à decoração, transformando-se instantaneamente no centro da atenções.

Ai ai, tô começando a sentir saudades do meu sofá amarelo – do qual eu ainda nem sei quando me despedirei oficialmente, hahaha . Vou ali ficar olhando pra ele um pouquinho e volto já :)

Ah sim, os mais observadores certamente notaram que uma das fotos é daqui de casa, não é mesmo? Aliá, isso me faz lembrar que tô devendo um tour pela casa atual – se bem que talvez eu deva esperar mais um pouco e encaixá-lo no “minhas casas passadas”… #sentindocheirodemudança

Tagged with:
 

Eu sou louca por tapetes. Tão louca que cometo a loucura de usá-lo sobre o carpete. Uso e paro de usar quando a paciência acaba – ficar arrumado tapete que se move o tempo inteiro é irritante, gente! E não adianta, aquela trama que se usa sob o tapete para não deslizar só funciona em piso duro e mesmo aquela mantinha especial para posicionar tapete sobre carpete, pára de funcionar rapidinho, tem que ser trocada a cada 6 meses no máximo. Então, para evitar o gasto a cada 6 meses, eu uso os tapetes até quando minha paciência me permite. Paro, enrolo, guardo, passo dois ou três meses sem eles e depois volto a usá-los. Coisa de gente perturbada, eu sei, rs.

cow

Não tem um dia que eu olhe para o chão aqui de casa e não deseje ter a minha própria casa, com um piso lindo, pra que eu possa comprar meus sonhados tapetes.

Hoje vim mostrar pra vocês um dos meus estilos prediletos, que faz tempo desejo incorporar a minha casa, mas a compra de um  destes abriria a caixa de pandora e, me conhecendo como me conheço, o bicho ia pegar! Porque eu sou assim, posso sair às compras e voltar sem nada, mas basta que eu compre a primeira blusinha, pro bichinho da carteira nervosa não me deixar parar. Triste verdade.

E antes que este post tome um outro rumo, vamos aos tapetes! :)

cow9

cow8

cow7

cow6

cow5

cow4

cow3

cow1

cow 2

Diz aí se não é pra desejar com força? Fica lindo na entrada, na sala, no quarto, no banheiro e na cozinha.
Só te digo uma coisa, na minha próxima casa, vai ter um desses aí esticadinho no chão ;)

Tagged with:
 

Acreditem ou não, se há uma coisa que chama logo minha atenção quando eu entro numa casa, é o piso.

1

Amo de paixão pisos de madeira – mas madeira mesmo, não me venha com laminados, que embora sejam muito práticos, não me convencem.

Eu gosto não só do look dos tacos de madeira, das tábuas corridas, mas também da sensação ao caminhar sobre eles. Já reparam que o salto do sapato faz um barulhinho diferente em cada tipo de piso? Então.

Quando cheguei na Austrália, morei numa casa que tinha um piso original lindo de madeira. Dava gosto limpar, olhar pra ele (quem passa e lê, acha até que sou uma dona de casa exemplar, rsrs, sabe de nada, inocente!)…

Um dos principais motivos de eu sonhar em comprar uma casa antiga é a surpresa que certamente estará me aguardando de baixo daquele carpete velho, brega e gasto: um piso lindo de madeira de verdade, um pouco desgastado pelo tempo talvez, mas quem se importa? Eu adoraria ter na minha casa um piso de madeira antigo, marcado, sofrido. Acho um charme.

Gosto também de ladrilho hidráulico, daqueles mais porosos, bem difíceis de limpar, rs. Mas se for para optar pela praticidade, escolho o cimento queimado, pintado, estampado ou ao natural.

Só não me venha com carpete, pisos laminados, nem porcelanato (exceto pro banheiro). Não gosto e pronto.

Infelizmente, moro de aluguel e aqui a possibilidade de se negociar uma troca de piso é nula. Ou seja, moro numa casa onde o carpete reina absoluto nas áreas sociais e íntimas, e segue de mãos dadas com o  porcelanato na cozinha/área de jantar e a cerâmica padrão nos banheiros e lavanderia. Eu sofro, gente!

Mas hoje vim aqui trazer inspiração não só pra vocês que são donos da própria casa e têm autonomia sobre o chão que pisam, mas também para os que, como eu, ainda moram de aluguel e são obrigados a se sujeitar a revestimentos mequetrefe, afinal, não se paga pra sonhar :)

Pra começar, eles, meu queridinhos, os pisos de madeira:

taco2

taco

madeira

tabua corrida2

tabua corrida

madeira2

Com brilho ou fosco,  claro ou escuro, rústico ou polido, pouco importa. Pra mim, ter um piso de madeira é começar a decoração com o pé direito!

Mas nem só a madeira faz meu coração acelerar… Vejam esses pisos de ladrilho hidráulico (e olha que nem são daqueles porosos antigos que eu amo, hein!)

ladrilho4

ladrilho3

ladrilho2

O ladrilho hidráulico foi muito usado nas construções no Brasil antigo. Com o tempo, foi sendo esquecido, mas ainda no final do século passado  voltou sua procura e novas linhas deste material foram lançadas, com acabamentos mais adequados à vida moderna.

Apesar da nova leva ser linda, meu ponto fraco mesmo são aqueles remanescentes doutros tempos, aqueles que a gente encontra nos cemitérios de azulejos da vida. Claro que ainda se produz modelos à imagem e semelhança dos originais, mas os preços são tão especiais quanto  as peças :)

E pra não dizerem por aí que eu sou uma pessoa que só gosta do “difícil”, encerro as inspirações de hoje com outro revestimento que eu adoro: o  cimento queimado.

concreto queimado

concreto queimado 2

cimento queimado

Para uma pessoa como eu, que ama tapetes (talvez por isso eu odeie carpetes!), o piso de cimento queimado é uma benção. As possibilidades são infinitas tendo como base esse revestimento curinga (sim com U. Coringa com O, refere-se à pequena embarcação ou pessoa feia e/ou raquítica – por isso o Coringa do Batman é com O, rsrs).

Outro dia eu volto pra falar do meu amor por tapetes ;)

 ________________________________________________________

Em tempo:

Hoje notei um erro no  sistema de comentários do blog (DISQUS). Comentários de vários leitores ficaram sem resposta. Ainda não sei porque, mas aparentemente minhas respostas postadas através do painel de administração  são consideradas spam. Eu sempre, cedo ou tarde, respondo a TODOS os comentários e mensagens, então se algum comentário seu ficou no vácuo, não foi por desleixo meu, nem por falta de consideração, tá? Foi um erro da máquina ;)
Mas agora eu já aprendi: respostas diretamente na página do post :)

Tagged with: